Neste fim de semana, oito ararinhas-azuis foram soltas em Curaçá, no sertão baiano. Nascidas em viveiros, as aves passaram por um treinamento de dois anos para esse grande momento de vida livre! A espécie chegou a ser considerada extinta da natureza há 22 anos.

A soltura delas é uma das etapas do Plano de ação Ararinha-Azul, coordenado pelo Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), em parceria com a ONG ACTP e instituições privadas que apoiaram o projeto.

“Se elas vão sair, fica por conta delas. O recinto vai ficar aberto o dia todo e elas vão poder sair e voltar, sendo um processo chamado de soltura branda. Pela noite, o lugar fica fechado, porque a gente não quer que entre nenhum predador”, explicou Camile Lugarini, coordenadora do projeto.

As ararinhas

As aves soltas foram cinco fêmeas e três machos que nasceram e foram criadas em um viveiro mantido pela ONG alemã Association for the Conservation of Threatend Parrots (ACTP), especializada em cuidar de papagaios ameaçados.

Os pesquisadores vão acompanhar a adaptação das ararinhas em vida livre por meio de um rádio colar que foi instalado em todas que foram soltas.

Além disso, vai ser feito o monitoramento constante da área em que elas devem circular, que tem muitas árvores caraibeiras, as preferidas das ararinhas-azuis para dormir.

Companhia das maracanãs

Junto com as ararinhas, foram soltas oito araras maracanãs que serão uma espécie de “professoras” para as jovenzinhas ararinhas-azuis se adaptarem à natureza.

As maracanãs (Primolius maracana) são aves parecidas com as ararinhas-azuis em termos ecológicos, em relação aos locais de criação de seus ninhos, ou ainda os seus hábitos alimentares e comportamentais.

“As duas espécies são tão semelhantes que o último macho das ararinhas-azuis conhecido na natureza formou par com uma maracanã”, escreveu Icmbio em publicação.

Assista ao momento da soltura:

FONTEsonoticiaboa.com.br
Artigo anteriorGilberto Gil ganha museu virtual do Google com músicas inéditas
Próximo artigoDólar sobe para R$ 5,13 à espera de juros no Brasil e nos EUA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui