Em menos de sete meses e geração de cerca de 900 empregos diretos, as obras do Complexo Eólico Tucano seguem em ritmo acelerado para a fase de conclusão. O moderno complexo eólico está sendo instalado em Tucano em um período nevrálgico no país, em que o Brasil enfrenta uma das mais preocupantes crises hídricas e de energia elétrica da sua história, pondo em xeque a necessidade urgente do desenvolvimento de energia sustentável.

Com destaque no Atlas Eólico da Bahia, Tucano sai na frente e entra na rota da geração de energia renovável na região e no país. A obra é uma iniciativa da empresa AES Brasil, em 2020 foram investidos cerca de R$ 129,8 milhões. De acordo com Rodrigo D’Elia, diretor de Engenharia e Construção da AES Brasil, o empreendimento está com obras em fase avançada com 35% das estruturas físicas construídas. “A conclusão das obras do Complexo Eólico Tucano está prevista para o segundo semestre de 2022. A ação contempla a fase da joint venture, com controle compartilhado com a Unipar, e a fase 2, com o acordo de venda de energia com a Anglo American, que juntas totalizam 322,4 MW de capacidade instalada, volume capaz de atender 1,6 milhão de pessoas”, afirmou.

Além do Complexo Eólico Tucano potencializar a geração de energia na Bahia, e no Brasil, com 322 MW de potência instalada, por meio de 52 aerogeradores com potência de 6,2 MW cada, e rotor de 170 metros de diâmetro, configurando-se como a maior máquina “on shore” do Brasil, a grande obra executada na cidade tem mais um ponto positivo: a contratação de cerca de 300 profissionais locais para as diferentes etapas de construção (ainda não estão sendo considerados os empregos a serem gerados para a operação do complexo).

Para o prefeito de Tucano Ricardo Maia Filho (PSD), a instalação do complexo eólico na cidade é de extrema importância para colaborar com o planejamento do desenvolvimento da cidade. “Tucano tem recebido de braços abertos essa iniciativa da AES Brasil. Sabemos da sua grandeza e relevância e estamos acompanhando de perto cada avanço da obra, que já tem impactado positivamente nossa cidade e região”, afirma o prefeito.

Segundo dados da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (SDE), a fonte eólica gerou mais de 78,8 mil empregos na Bahia em toda cadeia produtiva e mais de 57,8 mil postos de trabalho diretos na fase de construção dos parques eólicos no Estado que já estão em operação. A previsão é que sejam criados mais 69 mil empregos diretos e indiretos para os parques que estão em construção e os que a construção ainda não foi iniciada.

Comunidade de Tucano envolvida na modernização da cidade

Além da utilização de cerca de 1000 empregados diretos no auge da construção, a execução do empreendimento da AES Brasil terá impactos de destaques na economia e educação de Tucano.

Um importante exemplo é a parceria entre a Secretaria de Educação de Tucano com a Companhia AES Brasil para implementar o projeto de incentivo ao conhecimento com a implantação de sala de leitura em uma escola local.

Em uma parceria com o Senai Bahia e a Prefeitura de Tucano, já foram ofertados diversos cursos gratuitos de formação de mão de obra especializada, com aproveitamento de alunos para o canteiro de obras do complexo. Ainda há previsão de novas vagas em cursos gratuitos, que também têm buscado incentivar a participação feminina no setor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui