Jhonatan Brito, de 11 anos, é visto pelos pais, Jutay Bispo e Gisleide Brito, como um pequeno inventor. Isso porque o menino criou um simulador para jogos de celular utilizando materiais recicláveis.

Ele e a família moram na zona rural de Antônio Cardoso, a cerca de 125 quilômetros de Serrinha. “Usei um cabo de vassoura, parafusos, papelão e barbante. Você encaixa o celular nele e vira o volante, que no jogo vira também”, explica o menino.

Antes da invenção, Jhonatan jogava com o celular nas mãos, no entanto, o menino sentia cãibras com frequência devido ao tipo de jogo. Ele se inspirou no carro do pai para fazer o seu próprio volante.

“Eu tinha que virar ele [o celular] toda hora e minha mão ficava com cãibra. Aí eu vi meu pai no carro e fiz esse simulador aqui”, disse. O simulador não foi a primeira experiência do pequeno inventor. Segundo a mãe, Gisleide Brito, o menino costuma fazer brinquedos com materiais como latas de alumínio, palitos de churrasco, papelão, entre outros.

“Desde pequeno que ele pega as coisas e começa a fazer [os brinquedos]. No início eu não gostava, porque era muita bagunça, mas com o tempo eu fui deixando. Aí veio a pandemia, ele ficou fora da escola e começou a pegar as latinhas para fazer [brinquedos]”, afirmou a mãe de Jhonatan.

Jhonatan Brito posta as criações nas redes sociais

Segundo Gisleide, as criações do menino não ficam somente entre os brinquedos. Ele passou a observar as panelas de casa para fazer uma cuscuzeira, tudo isso com latas. Como uma forma de incentivo, a mãe passou a comprar tintas para que Jhonatan pinte as suas obras.

Em seguida, as invenções do menino ganharam as redes sociais. Ele criou um perfil em uma rede social e começou a postar fotos das invenções. “A gente começou a postar [na internet] e o pessoal gostou”, disse a mãe.

Uma tia viu uma das publicações e decidiu comprar o brinquedo. “Eu fiz, tirei foto e postei. Aí minha tia pediu e meu pai levou. Com o dinheiro eu comprei mais materiais”, contou o menino.

A mãe do garoto ainda acompanha de perto as produções por segurança, já que ele faz uso de tesouras e alicates. Além disso, ela comprou materiais de proteção. “Comprei uma luva para ele não cortar a mão, porque ele já se machucou, cortando a mão”, explicou.

Para o pai, Jhonatan é sinônimo de orgulho e felicidade. “Eu fico muito feliz, por ver a idade que ele tem. Quando volto do trabalho, encontro muita coisa diferente que ele faz”, disse orgulhoso. *Matéria publicada originalmente no site G1Bahia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui