A empresa alemã BioNtech disse nesta segunda-feira (29) que foram iniciados os trabalhos para a produção de uma vacina contra a nova variante ômicron. Ainda não se sabe se a farmacêutica terá que retrabalhar a vacina Pfizer ou desenvolver um imunizante específico. As informações são da Reuters.

Em comunicado, a empresa disse que o desenvolvimento de uma vacina adaptada faz parte do procedimento padrão para novas variantes. “Os primeiros passos para desenvolver uma potencial nova vacina se sobrepõem à pesquisa necessária para avaliar se uma nova dose será necessária”, afirmou.

Segundo a BioNtech, mais dados de laboratório são esperados nas próximas 2 semanas para saber se há uma necessidade de uma vacina específica contra a ômicron.

No último domingo (28), o diretor médico da farmacêutica Moderna, Paul Burton, disse acreditar que uma vacina específica para combater a variante pode estar disponível no início de 2022. Ele afirmou em entrevista ao programa “Andrew Marr Show”, da BBC, suspeitar que as vacinas atuais podem não oferecer proteção ideal para a nova cepa.

Identificada pela primeira vez na África, a variante já foi confirmada em outros 13 países. A OMS (Organização Mundial da Saúde) afirmou nesta segunda-feira (29) que a ômicron representa um risco muito elevado para todos os países do mundo. Até o momento, não foi registrada nenhuma morte associada à nova cepa, disse a organização em comunicado técnico.

O Brasil seguiu as recomendações da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e proibiu a entrada de viajantes vindos da África do Sul, da Botsuana, de Eswatini, de Lesoto, da Namíbia e do Zimbábue.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui