A Rússia já vacinou 2,5 mil militares com a Sputnik Vvacina desenvolvida pelo centro de pesquisas em Moscou. Outros 80 mil soldados devem ser imunizados até o fim do ano e o objetivo final é atingir 400 mil. A Sputnik V ainda está na fase 3 do ensaio clínico e, de acordo com os pesquisadores, demonstrou 95% de eficácia. Na Rússia, o imunizante está registrado desde agosto. A prefeitura de Moscou investiu US$ 130 milhões para a preparação de 300 centros de imunização contra a Covid-19, que vão começar a funcionar assim que receberem as doses da vacina.

 

Especialistas da França estão em Moscou para estudar a vacina e discutir a colaboração na produção e vacinação em massa. Na semana que vem, uma comitiva de cientistas húngaros deve chegar no país para inspecionar os laboratórios e locais de produção — o que foi colocado como condição para que o governo da Hungria decida se vai produzir a Sputnik V. O Ministério da Saúde russo fechou acordo com a Índia e Coreia do Sul e negocia com a China e Bielorrússia a transferência de tecnologia. No caso do país indiano, o grupo farmacêutico Hetero vai produzir 100 milhões de doses por ano a partir de 2021. A Sputnik V deve ser testada e produzida no Brasil em janeiro, pelo laboratório União Química. A Rússia acumula 2.215.533 casos de coronavírus desde o início da epidemia, com 38.558 óbitos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui