A Polícia Civil decidiu manter o indiciamento do médico Rodolfo Cordeiro Lucas, por tentativa de feminicídio contra a também médica Sáttia Lorena Patrocínio Aleixo, que caiu do quinto andar de um prédio no dia 20 de julho, no bairro de Armação, em Salvador (relembre aqui). O inquérito foi reenviado para o Ministério Público da Bahia (MP-BA) com atualizações na última sexta-feira (20), após a reconstituição do caso por parte dos investigadores.

Conforme informações do portal G1, o laudo da reconstituição concluiu que houve ameaças e agressões físicas do indiciado contra a ex-companheira, mas revelou-se inconclusivo sobre o que motivou a queda da vítima.

O suspeito foi indiciado com base em demais provas componentes da investigação, como o depoimento da vítima e de testemunhas. Na segunda vez que foi ouvida pela polícia, Sáttia contou que Rodolfo Cordeiro Lucas disse que ia “acabar com a vida dela”.

O crime de feminicídio é o assassinato de uma mulher pelo fato de ela ser mulher. Ou, como dito no relatório final da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito sobre Violência contra Mulher, “o feminicídio é a instância última de controle da mulher pelo homem: o controle da vida e da morte”. No caso do médico Rodolfo Cordeiro Lucas, ele responde pela tentativa, já que a médica Sáttia Lorena sobreviveu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui